Técnica PC | 5 dicas para descobrir se o seu HD está prestes a morrer
2873
post-template-default,single,single-post,postid-2873,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-17.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.5.5,vc_responsive

5 dicas para descobrir se o seu HD está prestes a morrer

5 dicas para descobrir se o seu HD está prestes a morrer

Entenda quais são os sinais de problemas dados pelo computador e evite perder seus arquivos

É possível detectar problemas no HD antes de o equipamento dar defeito. Como HDs são uma das principais formas de armazenamento de dados digitais, eles são parte essencial do funcionamento de um computador. O que muitas pessoas não sabem é o que o dispositivo é muito sensível. Fixado em um laptop ou desktop, o disco rígido tem vida média de cinco a 10 anos, dependendo da fabricante e do ambiente.

Com os modelos externos, pode ser ainda menor, uma vez que ficam em movimento o tempo todo. Assim, são esperados apenas de três a cinco anos de vida para aparelhos do tipo. Após a falha, não há o que fazer: a única opção é comprar outro. As informações, por sua vez, dificilmente serão recuperadas – e por um alto custo.

Para garantir que arquivos importantes se mantenham a salvo, é preciso tomar alguns cuidados. É sempre bom estar em dia com os backups e usar outros espaços de armazenamento, incluindo a nuvem. Serviços com o Google Drive, o Dropbox, o iCloud e o OneDrive são grandes aliados nessa hora.

Mas essas medidas são especialmente importantes quando o fim da vida útil do disco rígido é eminente. A boa notícia é que muitas vezes os HDs “morrem” gradualmente, apresentando com antecedência indícios de que problemas graves estão a caminho. Confira a seguir como identificar se seus dados estão em perigo.

Lentidão e travamentos frequentes

Caso sua máquina trave e reinicie sozinha o tempo todo, a “tela azul da morte” seja frequente, ou se as pastas e arquivos demoram vários minutos para abrir, o disco rígido pode ser o responsável. Principalmente se as falhas ocorrerem depois de uma nova instalação ou mesmo no modo Windows Safe. Na verdade, esses sintomas podem ser causados por vários problemas, mas, de qualquer forma, é hora de fazer um backup.

Dados corrompidos

Arquivos que somem de repente, não abrem de jeito nenhum ou ficam corrompidos, dificuldades para salvar um arquivo ou ainda programas que param de funcionar alegando não encontrarem um arquivo essencial. Esses são todos sinais típicos de um HD com potencial para travar a qualquer momento.

Sons estranhos

Ruídos esquisitos podem indicar danos mecânicos já avançados no disco rígido. Quando a agulha está tentando gravar ou ler dados fora de posição, ou se o motor estiver emperrado, certos sons são emitidos. Caso escute barulhos estridentes, rangidos e cliques repetitivos ao usar o computador e/ou HD externo, corra para salvar suas informações. Ainda assim, talvez seja tarde demais.

Falha no reconhecimento

Quando o computador não consegue mais detectar o HD, o defeito pode estar tanto em um quanto no outro. Vale ainda verificar se a questão não é o cabo ou a conexão na placa-mãe e, se for possível, testar o disco em outra máquina. Geralmente, trata-se de uma falha lógica, mas, caso o problema seja mesmo no disco rígido, será necessário procurar um especialista para recuperar os dados.

Sistema S.M.A.R.T.

Uma ferramenta capaz de prever problemas com o disco rígido é o S.M.A.R.T (sigla em inglês para “tecnologia de análise e relatórios de automonitoramento”), conjunto de informações guardadas no sistema operacional. Existem programas para a leitura desses dados, que averiguam as condições dos HDs conectados ao computador, como o CrystalDiskInfo. Essas ferramentas, porém, não costumam reconhecer as deficiências em estágios iniciais.